05/09/2018 Undime

Todas as notícias Categorias

Programa aborda mitos e verdades sobre déficit de atenção

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) acomete cerca de 3% da população mundial, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), e pode dificultar o processo de aprendizagem de crianças e adolescentes. Esse distúrbio ainda gera muitas dúvidas. Para esclarecer o que é verdade ou mito, o programa Salto para o Futuro da TV Escola desta quarta-feira, 5, discute essa patologia, a partir das 20h.

Para debater o tema, os apresentadores Murilo Ribeiro e Barbara Pereira conversam com a psicóloga e presidente da Associação Brasileira do Déficit de Atenção, Iane Kestelman, e com a fonoaudióloga e psicomotricista Renata Mousinho, que coordena o projeto Elo: escrita, leitura e oralidade, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para Iane, para identificar o TDAH, é preciso ter atenção aos principais sinais. “É um diagnóstico que se baseia em um tripé de sintomas sendo, basicamente, desatenção, impulsividade e hiperatividade. Então, são pessoas mais agitadas, que costumam ter atividade motora elevada e, muitas vezes, com velocidade de processamento de pensamento muito rápido”, explica a psicóloga.

Além das principais características do transtorno, o programa também debate os mitos do TDAH, como ele pode influenciar na qualidade do aprendizado de crianças e adolescentes e qual o papel dos educadores no acompanhamento dos estudantes que apresentam o transtorno.

A psicomotricista Renata Mousinho alerta que ao educador não cabe o papel de dar diagnósticos, sendo esta uma atribuição do psiquiatra. “O educador pode levantar hipóteses, ver o que aquela criança precisa, fazer ela voltar ao foco, levar a equipe pedagógica para conversar com a família e assim desencadear todo processo que pode auxiliar no momento do diagnóstico feito exclusivamente por psiquiatras”, pontua a especialista.

Toda quarta-feira, as 20h, a TV Escola exibe um assunto diferente no programa Salto para o Futuro. É possível assistir também no portal oficial da emissora, no canal do YouTube ou no aplicativo disponível.

Fonte: MEC / Foto: FreePik

https://bit.ly/2oG95AR

 

Todas as notícias Todas as categorias