21/06/2017 Undime Categorias: Notícia Notícias Undime

Todas as notícias Categorias

Undime participa de seminário do Inep sobre os censos educacionais

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) promove, nesta terça (20) e quarta-feira (21), em Brasília, o “Seminário 10 anos da metodologia de coleta de dados individualizados dos censos educacionais”. Foi convidado, para representar a Undime, um Dirigente Municipal de Educação de cada Região do país. Pela Região Nordeste, o presidente da Undime e DME de Alto Santo (CE), Alessio Costa Lima; pela Região Sudeste, o presidente da Undime SP e DME de Sud Mennucci (SP), Luiz Miguel Garcia; pela Região Sul, o presidente da Undime RS e presidente da Undime Região Sul, André Lemes, DME de Rio Grande (RS); e pela Região Centro-Oeste, a vice-presidente e DME de Costa Rica (MS), Manuelina Martins, que, na ocasião, participou da mesa de abertura.

A efetivação do pacto federativo brasileiro na realização dos Censos Educacionais foi objeto de discussão na mesa de abertura que contou com a participação da presidente do Inep, Maria Inês Fini; do diretor de estatísticas educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio; e do secretário de Estado de Educação de Sergipe, Jorge Carvalho, que representou o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

Na ocasião, a vice-presidente da Undime reforçou a necessidade e a importância da implementação do regime de colaboração. Segundo Manuelina, o Censo Escolar é uma ferramenta que contribui para tanto. "O Inep tem avançado muito no trabalho que se propõe a desenvolver e ele vem nos demostrando que o Brasil tem condições de fazer acontecer o pacto federativo. O Censo Escolar é uma ferramenta efetiva para o regime de colaboração". Ainda de acordo com ela, o Censo Escolar é fundamental para a definição da política da educação brasileira, pois além de ser a base de cálculo para os programas existentes, como o Fundeb, Pnae, Pnate e PDDE, os dados do Censo Escolar são instrumentos que norteiam o planejamento da educação. "Ou seja, eles contribuem para a análise e construção das políticas públicas".

Para a presidente do Inep, o Censo Escolar, além de subsidiar as políticas externas, apresenta um requisito excepcional para o trabalho de todas as diretorias do Inep. "A minha palavra é de agradecimento a todos os que tornam isso possível, a todos que nos fornecem as informações legítimas e verídicas para que a gente possa construir esse grande banco de dados", disse ela. Maria Inês acrescentou ainda que o Censo Escolar, para o Inep, além do valor sozinho que tem, porque é capaz de fazer inúmeros estudos, ele subsidia todas as avaliações tanto da educação básica quanto do ensino superior. "Tudo isso dá a dimensão exata das operações que temos de fazer para poder promover essas avaliações, com devolutivas reais, que podem traduzir em avanços das políticas pedagógicas".

Os pontos altos do seminário, na avaliação da Undime, são os lançamentos das pesquisas: “Indicadores de Fluxo de Escolar da Educação Básica” e “Potencial de uso da informação individual para pesquisas acadêmicas: remuneração média dos docentes da educação básica". “O censo escolar é hoje uma das maiores coletas de dados educacionais realizadas na América Latina e avançou qualitativamente a partir da coleta individualizada de dados, pois possibilita o registro de informações nominais por aluno, professores, gestores e escolas permitindo a geração de informações mais especificas de cada segmento, o que gera melhores diagnósticos e, consequentemente, a definição de políticas públicas educacionais mais assertivas. O Brasil hoje é referência em metodologia e tratamento das informações estatísticas educacionais”, avalia o presidente da Undime, Alessio Costa Lima.

A programação completa do seminário está disponível no link: https://goo.gl/TQDESD

Confira mais fotos do seminário: 

Fonte/ Fotos: Undime

Todas as notícias Todas as categorias