15/09/2016 Undime Categorias: Notícia Notícias Undime

Todas as notícias Categorias

Consed e Undime entregam ao MEC contribuições para a Base Nacional Comum Curricular

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e secretário de Estado da Educação de Santa Catarina, Eduardo Deschamps, e o presidente da Undime e Dirigente Municipal de Educação de Tabuleiro do Norte (CE), Alessio Costa Lima, entregaram ao Ministro da Educação, Mendonça Filho, o posicionamento com sugestões de melhoria do texto da segunda versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A entrega do posicionamento e a apresentação das contribuições aconteceu na noite da última quarta-feira (14), na sede do Ministério da Educação (MEC), em Brasília.

O documento foi elaborado a partir das contribuições de mais de 9 mil professores, gestores, especialistas e entidades de educação que participaram dos seminários realizados entre junho e agosto em todos os estados brasileiros.

“As recomendações dos seminários são essenciais para a elaboração de um documento que seja mais factível e que possibilite uma melhor apropriação por parte do educador e da sociedade do que ensinar e aprender na Educação Básica, para que o Brasil chegue nos resultados que precisamos”, destacou Eduardo Deschamps, presidente do Consed.

Alguns pontos de destaque dos seminários são a necessidade de maior organização da estrutura, clareza e objetividade do texto, esclarecimento sobre concepção e propósito do documento, diferença entre Base e Currículo, recomendações específicas sobre as etapas (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio), sugestões sobre os objetivos de aprendizagem, entre outros.

É também uma recomendação que a versão final da Base seja acompanhada de um calendário de implementação, que materialize um horizonte temporal definido para que estados, municípios e escolas se organizem para criar as condições necessárias para colocá-la em prática.

Para a Undime, é preciso incluir no documento a visão de cidadão e sociedade que a BNCC propõe, com base na Constituição de 1988. “Entendemos que é preciso revisar os direitos de aprendizagem e conhecimento à luz dos princípios éticos, políticos e estéticos, de maneira a deixar mais explícitos os valores da liberdade de expressão e do posicionamento crítico, e o respeito à diversidade", afirmou o presidente da Undime, Alessio Costa Lima.

As contribuições encerram a segunda etapa de consulta do documento, que teve sua primeira versão lançada em setembro de 2015. O próximo passo é a redação da terceira versão, que será entregue ao Conselho Nacional de Educação (CNE) pelo MEC ainda este ano. “O processo foi construído de forma muito madura e consciente, com a discussão de muitos professores e gestores. Seguimos em frente, com o apoio do Consed e da Undime, nesse processo vivo em busca dos melhores resultados possíveis”, disse o ministro Mendonça Filho.

O posicionamento na íntegra pode ser acessado no portal dos Seminários Estaduais da BNCC por meio do link: http://seminarios.bncc.undime.org.br/, na aba "Biblioteca" e, em seguida, em “Publicações”.

Confira mais fotos:

Fonte: Undime e Consed/ Fotos: Undime

 

Todas as notícias Todas as categorias