18/06/2015 Undime

Todas as notícias Categorias

Diferenças tratadas com igualdade

Quando se pensa em universalização dos direitos no âmbito da educação, um tema recorrente é a inclusão das pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação. Rodrigo Hübner Mendes, presidente do Instituto Rodrigo Mendes, ressalta que é imprescindível levar em consideração um conjunto de fatores para que isso seja alcançado. “A gente costuma estruturar a discussão em cima de cinco eixos passando por políticas públicas, gestão escolar, estratégias pedagógicas, participação da família, e da sociedade civil”, cita ao destacar que nos últimos anos tem-se observado avanços importantes em todas as dimensões, a começar pelas políticas públicas.

“O Brasil, desde de 2008, tem uma orientação muito clara e muito comprometida com a Convenção das Nações Unidas sobre o direito das pessoas com deficiência e a proposta é que a rede de ensino possa se transformar e receber na sala de aula comum qualquer estudante”, destaca Mendes. Segundo ele, para que isso seja alcançado a gestão escolar tem um papel importante: o de repensar a cultura da escola no sentido de orientar as equipes, os estudantes, e a comunidade escolar como um todo a fim de criar um ambiente favorável ao respeito às diferenças. “Isso de forma que a diversidade seja parte do dia-a-dia, seja um elemento intrínseco ao ambiente de aprendizagem”, avalia.

Nesse aspecto, um ponto muito importante é a formação continuada para professores, coordenadores pedagógicos, diretores e técnicos das secretarias de forma a oferecer um amplo repertório de conteúdos e de práticas que demonstrem como cada educador pode pensar novos projetos voltados à inclusão.

E que país teremos ao atingirmos isso? “Um país democrático, que respeita direitos e que garante que todos possam se desenvolver, criar autonomia e viver com dignidade”, responde Rodrigo Mendes.

Autor: Kalinka Iaquinto para Undime

Todas as notícias Todas as categorias