17/07/2018 Undime

Todas as notícias Categorias

Três novas escolas brasileiras são reconhecidas pelo programa Escolas Transformadoras

Três novas escolas empenhadas em colocar a educação do país em um trilho diferente e inclusivo foram reconhecidas pelo programa Escolas Transformadoras, iniciativa global da Ashoka, correalizada no Brasil com o Instituto Alana. Foram elas: a Escola Pluricultural Odé Kayodê, da Cidade de Goiás (GO), o Projeto Âncora, de Cotia (SP) e o Centro Municipal de Educação Infantil Hermann Gmeiner, de Manaus (AM). As três instituições agora integram uma comunidade de 21 escolas espalhadas por todo o país, mobilizadas em projetos de transformação social.

A Escola Pluricultural Odé Kayodê ocupa um local em meio a árvores, esculturas, referências religiosas afro-brasileiras e símbolos indígenas. Espaço de resistência e valorização dessas culturas, a instituição aposta na formação multicultural de seus alunos, e os encaminha para que sejam capazes de reconhecer suas heranças ancestrais e culturais, capacitando-os para serem livres, expressivos, felizes e atuantes, verdadeiros agentes da transformação do território onde moram.

Já o Projeto Âncora é uma escola que, há anos, vem se consolidando como pioneira de um trabalho de assistência social que, aliado à educação, fornece às crianças, jovens e suas comunidades as ferramentas necessárias para acabarem com o círculo vicioso da pobreza e contribuírem na construção de uma sociedade mais justa, íntegra e sustentável. Referência nacional em novas práticas educativas por conta de suas diversas inovações pedagógicas, o Projeto Âncora foca na autonomia dos estudantes e na formação de cidadãos comprometidos com uma nova forma de vida social. Lá, o ideal é aprender sem paredes, sem relações hierárquicas e trocando experiências e sonhos.

O Centro Municipal de Educação Infantil Hermann Gmeiner é uma escola pública que investiu em um processo educativo distanciado do modelo tradicional. A transição teve início em 2016, valorizando as propostas pedagógicas desenvolvidas pelos próprios educadores ao invés do uso de sistemas apostilados para o trabalho com crianças pequenas. A escola está de portas abertas para acolher a comunidade e a diversidade, e defende que a educação pública de qualidade é um direito de todos. A nova proposta da escola prioriza a importância da escuta e do protagonismo das crianças, especialmente por meio das múltiplas linguagens e formas de ser e estar dos pequenos, os quais constroem o processo educativo junto a outros atores. Por lá, aprende-se brincando e experimentando, com total liberdade de ir e vir. As brincadeiras norteiam a experiência das crianças.

Sobre a Ashoka

A Ashoka é uma organização social global fundada em 1981 que congrega mais de três mil empreendedores sociais em 84 países, e busca colaborar na construção de um mundo em que Todos são Transformadores (Everyone a Changemaker), no qual qualquer pessoa pode desenvolver e aplicar as habilidades necessárias para solucionar os principais problemas sociais que hoje enfrentamos.

Sobre o Instituto Alana

Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Fonte: Instituto Alana

Todas as notícias Todas as categorias