25/03/2019 Undime

Todas as notícias Categorias

Abertas as inscrições para a etapa nacional do III Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos

A Organização de Estados Ibero-Americanos (OEI) e a Fundação SM lançam a etapa nacional da terceira edição do Prêmio Internacional de Educação em Direitos Humanos Óscar Arnulfo Romero. A iniciativa reconhece o trabalho de instituições de ensino e organizações da sociedade civil (OSC) com programas que promovem o direito à educação, à convivência na escola, à paz, às liberdades, à inclusão e aos direitos humanos.

O Brasil é um dos 20 países da Ibero-América onde é possível participar. O prêmio também alcança escolas e OSCs da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, Portugal, República Dominicana e Uruguai.

 

As candidaturas podem ser apresentadas até 7 de maio em uma das seguintes categorias:

categoria A - instituições de ensino (escolas); e ou

categoria B – organizações da sociedade civil e de promoção de educação informal.

Para a etapa nacional, serão escolhidas duas experiências vencedoras, uma em cada categoria. O prazo final de inscrição para a etapa nacional é 7 de maio. O júri é formado por técnicos da OEI e Fundação SM, além de representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e especialistas na área de educação em direitos humanos.

A fase internacional do prêmio deve ocorrer até setembro quando serão escolhidos dois finalistas em nível ibero-americano em ambas as categorias. Os premiados receberão U$ 5 mil (cinco mil dólares) para investir nas iniciativas apresentadas no concurso. A entrega do prêmio está prevista para ocorrer no último trimestre do ano.

O prêmio

Óscar Arnulfo Romero, Monsenhor Romero, foi um sacerdote de El Salvador, o quarto arcebispo da metrópole e foi um firme defensor dos direitos humanos. Foi assassinado no dia 24 de março de 1980 durante a celebração de uma missa. O fato é visto como um dos motivos que desencadeou a guerra civil no país que durou 12 anos e deixou para trás cerca de 100 mil mortos. Em 14 de outubro, o Papa Francisco canonizou-o, fazendo dele o primeiro santo de El Salvador. A sua figura dá o nome a este prêmio.

A etapa internacional da 2ª Edição do prêmio, ocorrida em 2017, contou com mais de 300 projetos de 19 países ibero-americanos. Os vencedores na categoria A foram dois centros escolares da Bolívia e da Colômbia. Na categoria B a premiação ficou com o projeto de uma organização do Peru com foco em ecotecnologia e adolescentes e o Museu da Imagem e da Palavra de El Salvador.

O Brasil

Em 2015, o país venceu o Prêmio Internacional de Educação em Direitos Humanos com a experiência do projeto “Mulheres Inspiradoras”. Coordenado pela professora Gina Vieira, desde 2014, “Mulheres Inspiradoras” teve início em 2014, com a iniciativa da professora Gina Vieira Ponte. O objetivo principal do projeto era estimular o interesse dos alunos pela leitura e escrita por meio da análise das obras escritas por mulheres. Os temas abordados eram a violência, o racismo, o protagonismo e advocacy, a diversidade, a igualdade de gênero ou a representação feminina.

Inscrições

- prazos de admissão de trabalhos: até 7 de maio
- propostas deverão ser enviadas para o e-mail: brasil@premioddhhoscararnulfo.org 

Atenção: a proposta inclui o envio dos documentos Anexos I e o Anexo II preenchidos, bem como a cláusula de proteção de dados. Esses documentos estão acessíveis em: como participar

Fonte: OEI

https://bit.ly/2HVIBa1 

Todas as notícias Todas as categorias