29/06/2018 Undime

Todas as notícias Categorias

Undime destaca inclusão da educação infantil no novo Saeb

O Dirigente Municipal de Educação de Alto Santo/ CE e Presidente da Undime, Alessio Costa Lima voltou a endossar o apoio da entidade à inclusão da educação infantil no novo modelo do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), anunciado na quinta-feira (28), em Brasília.

Compondo a mesa-redonda que levantou sugestões para o aprimoramento do Saeb 2019 durante o Seminário do Projeto do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) 80 anos, o dirigente destacou que é preciso saber as reais condições das redes da educação infantil no país para que seja possível manter o crescimento do percentual de crianças brasileiras atendidas com qualidade pelo sistema público de educação.

“Sem indicadores, não é possível monitorar. Incluir a educação infantil no âmbito de avaliações é um marco importante para entender e acompanhar como as crianças têm sido atendidas em creches e pré-escolas. Monitorar desde questões ligadas à infraestrutura até os níveis de oferta de vagas, para que possa ser possível avaliar o tipo de atendimento às demandas”, afirmou.

Durante o debate, o professor Alessio também analisou como positiva a transferência da aplicação da avaliação da alfabetização para o fim do segundo ano do ensino fundamental. Segundo ele, a mudança reforça a relevância do trabalho de revisão das matrizes de avaliação, à luz do texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da educação infantil e do ensino fundamental, aprovada no ano passado. Sobre o novo ciclo avaliativo, ele entende que não haverá prejuízos para as análises já realizadas.

“É preciso deixar claro que estamos construindo uma nova série histórica. É uma nova matriz de alfabetização, focada em habilidades, espelhada na nova BNCC, que permitirá comparar os níveis de leitura dos alunos do segundo ano e que demandará um novo olhar e entendimento de educadores sobre o processo de alfabetização”, comentou. Ele lembrou, no entanto, que a criação do ciclo bianual demandará um tempo para ajustes dos currículos e das metodologias por parte de escolas e seus profissionais e reforçou que será preciso fortalecer as políticas de apoio às redes, que agora deverão estar mais focadas na análise diagnóstica e na formação dos docentes e estudantes.

O Presidente também destacou o caráter positivo da inserção das áreas de ciências da natureza e humanas no novo modelo de avaliação do Saeb. “Tudo o que não é avaliado, é visto como pouco importante. Incluir estas matérias demonstra o reconhecimento do Inep ao trabalho dos profissionais que atuam nestas áreas, além do empenho em fortalecer a educação nacional, tendo em vista os altos custos que a inserção destas novas avaliações implica”, disse.

Ainda participaram do debate a Conselheira do Conselho Nacional de Educação (CNE), Maria Helena Guimarães de Castro; a Presidente do Conselho de Secretários da Educação (Consed), Maria Cecilia Amendola Motta; a integrante do Comitê Científico da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave), Lina Katia Mesquita de Oliveira. A mediação foi feita pela presidente do Inep, Maria Inês Fini.

Pela manhã, o presidente da Undime participou da abertura do Seminário, ao lado do Ministro da Educação, Rossieli Soares; da presidente do Inep, Maria Inês Fini; da Diretora de Avaliação da Educação Básica do Inep, Luana Bergmann Soares; do Secretário Executivo Adjunto do MEC, Felipe Sigollo; do Representante Residente do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic; e do Diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio. 

Fonte/Fotos: Undime 

Todas as notícias Todas as categorias