04/08/2016 Undime

Todas as notícias Categorias

Ceará reúne a comunidade educacional para analisar a segunda versão da Base Nacional Comum Curricular

O Ceará reuniu, nos últimos dias 28 e 29 de julho, a comunidade educacional do estado para analisar, debater e propor contribuições à segunda versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A Base representa a proposta dos direitos e objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para os alunos da educação básica e deve ser elaborada e enviada ao Conselho Nacional de Educação (CNE), após consulta pública. A primeira versão do documento já passou por consulta popular, por meio do portal da Base. A segunda versão passa por análise, entre os meses de junho e agosto, por meio da realização de seminários estaduais.

O evento foi uma iniciativa do Comitê Estadual da Base no Ceará, formado por representantes do Consed e da Undime, e aconteceu na Universidade Federal do Estado, no Auditório da Faculdade de Economia, Administração Atuárias e Contabilidade, localizado em Fortaleza (CE). Os participantes foram selecionados por meio de chamada pública, a qual estabelecia critérios para selecionar os inscritos. Segundo a organização do evento, pela chamada pública, foram selecionadas 296 pessoas, além dos convidados. "Participar desse seminário é um marco na história desse país, porque nós vamos ter uma visão da escola, do que ela realmente precisa e como isso acontecerá, também na visão do professor e dos alunos", afirmou a professora de Educação Básica, Maria do Socorro Silva Rogério.

Betânia Maria Gomes Raquel, professora da rede pública de ensino do Estado e integrante do Comitê Estadual da BNCC, contou que a comissão trabalhou bastante no sentido de mobilizar a comunidade educacional e tentar garantir representação de todos os municípios. "O nosso grande ganho é social, porque a gente colocou no circuito da reflexão a educação básica como um todo, em todos os locais do estado", disse ela.

A estudante do Ensino Médio, Ariadne de Maria Martins de Souza, de 16 anos, foi uma das selecionadas pela chamada pública e participou do seminário. Segundo ela, discutir a Base é importante pois esse será um documento com poder de impactar a vida profissional e cidadã dos estudantes. Já para o professor de Educação Física de Canindé (CE), município distante cerca de 120 km da capital, Daniel Martins Braga, a Base virá para subsidiar o trabalho diário em sala de aula.

Durante o seminário, o Comitê Estadual optou por seguir a metodologia proposta pelo Comitê Gestor dessa etapa de discussão da BNCC, formado pelo Consed e pela Undime. Para tanto, ainda em junho, representantes de todos os estados da federação que integram os comitês de mobilização da Base participaram, em Brasília (DF), de uma formação para os seminários. O objetivo foi apresentar a metodologia sugerida para os seminários. (leia mais sobre o assunto aqui) Maria de Jesus Araújo Ribeiro, mais conhecida como Jesus, é uma das 116 especialistas que contribuiu com a elaboração do documento preliminar da Base, além disso ela compõe o Comitê da BNCC no Ceará. Jesus participou da formação e elogiou a metodologia. Segundo ela, a forma como está estruturada já encaminha para que, à medida que o seminário aconteça, as decisões e posicionamentos levem uma conclusão lógica das contribuições.

Após o seminário, o Comitê Estadual deverá concluir o relatório com as contribuições apresentadas e encaminhar o documento ao Comitê Gestor. A partir disso, caberá ao Consed e à Undime sistematizar os 26 relatórios estaduais e o distrital para encaminhar ao Ministério da Educação.

Mais informações sobre os seminários estaduais da BNCC podem ser consultadas pelo link: http://seminarios.bncc.undime.org.br/

Fonte: Undime com a colaboração de Daniela Mendes/ UnB

Todas as notícias Todas as categorias